10 de março de 2013

Fallon Fox e o MMA

Na reportagem deste link é possível conhecer a história de uma lutadora transexual entrando para a liga feminina norte-americana de artes marciais, um conto de futuro aparentemente brilhante apesar dos tropeços atuais pelo caminho.


Uma coisa que reparo pelas histórias de esportistas transexuais é que todas elas, sem exceção, fizeram a cirurgia de redesignação sexual. As que tentam entrar para as ligas femininas, digo. O que faz sentido, já que sem a cirurgia mencionada, sua carga de testosterona é infinitamente superior a das suas competidoras, o que a tornaria um membro deslealmente superior dadas as características do hormônio masculino.

Certo, mas e aí, o que acontece com o resto de nós? Ficaremos eternamente banidas dos esportes oficiais? Um dia deixará de existir a separação por gêneros nas competições? As cismulheres serão obrigadas a passar por puberdades masculinas a fim de atingir nossa capacidade física? Será criada uma liga de gêneros híbridos?

Mais um da série "questionamentos polêmicos e temporariamente insolúveis da humanidade".

Mas vocês são bem-vindos a opinar na questão.