27 de abril de 2012

Campanha: Ensine MayB a se vestir. Agora.

Emergencial. Nesse exato momento. Vou explicar porquê. Eu não sei combinar roupa, simples. Vejam, hoje eu fui buscar na costureira duas sainhas que minha amiga Carla tinha me dado (quem manda eu ser desbundada?) e tirei algumas fotos para mostrar a vocês. Relutantemente. E uma de cada saia só, de 20 fotos que tirei. Porque o resto ficou horrível... estas estão só feias. Ah sim, pintei as unhas também, pela primeira vez na minha existência nesse planeta. Com fotos!

Primeiro as unhas, que eu tenho menos vergonha de mostrar.





Bom, logo se vê o quão inteligente sou né... esta vendo a ponta dos dedões do pé? Então. Eu fui no salão fazer mão, pé e sobrancelha, e achei que nesse tempo o pé secaria o suficiente para andar depois de sapatilha. Nem preciso dizer que estava errada, né? Agora vai ficar assim também até a próxima vez. Uma próxima vez que VOCÊ VAI DE HAVAIANAS, Mayra sua estúpida. De qualquer forma, a recepção no salão foi ótima. Todos me trataram super bem e com as meninas que me atenderam eu até bati um papinho. A da sobrancelha então perguntava mil coisas sobre a tudo, super simpática ela. E como ela tem uma sala fechada eu podia falar todas as besteiras do mundo. Até usar minha voz original, super grossa, só pra divertí-la.

Falando na minha voz, um parêntesis. Vocês sabem o que é o indivíduo bi-gênero? Caracteriza-se assim quem identifica em seu ser parcelas similares dos dois gêneros na sua personalidade. Bom, isso resulta em ele poder apresentar concomitantemente características dos dois gêneros em seu comportamento e aparência ou alternar entre eles, vivendo um dia de menino, um dia de menina. "Tá May, e eu com isso?". Bom. Recentemente eu tenho me acostumado com certas características masculinas em mim, por isso lembrei desse termo. Não que eu vá me comportar como menino (nem usar minha voz original na rua, seria hilário...) nem me vestir como um. Mas eu estou começando a entrar em acordo com meu lado masculino, aceitá-lo "sem medo nem preconceito". "Tipo o que, May?". Bom, a voz eu nunca usava, nunca. Me ofendia. Agora, eu nao tenho medo de apresentá-la a alguém, seja para surpreender, seja para extrair umas risadas, seja para... bom, as meninas as vezes gostam de ouvir uma ou outra besteira com aquela voz arranhada no pé do ouvido, não? Hehe.

Outra coisa que eu estou refletindo é sobre usar roupas sem manga. Eu estou começando a perder o medo de fazer isso, perder a vergonha de ter os braços fortes. Vocês viram nas fotos das blusas sem manga que mostrei aqui... provavelmente levantaria suspeitas. Mas eu acho que estou... aceitando, e até gostando da ideia de ser uma trans, no sentido de ver as vantagens que tenho sobre as ciswomen. Um terceiro exemplo seria o tamanho do pé e da mão, que eu sei que não são exclusivamente femininos. Uma amiga que encontrei esses dias tinha a mão do mesmo tamanho da minha. 41, varias modelos calçam. 1,73, muita mulher tem. E no fim das contas, tenho ficado mais confiante em mim mesma. Muita gente eu pergunto de brincadeira se repararam algo de diferente sobre mim, de suspeito. E mesmo após me olharem novamente com essa pergunta capciosa na cabeça, a resposta é sempre a mesma. "Não. Nada. O que?". Que geralmente se segue de um "Porque eu sou transsexual" ou "porque meu nome de batismo é Marcelo." Em seguida sempre vem uma expressão de surpresa, choque, questionamento, que se eu tirasse uma foto de cada e fizesse uma exibição de slides pra vocês, vocês iam se matar de rir.

Bom, dane-se, eu tava contando do salão hahahaha. Quando fui sair, uma moça sócia/dona/sei-lá-o-que do salão estava sentada na recepção e ficou me encarando longa e analiticamente, ao que eu disse "Estou um pouco diferente, né?" Ela só respondeu que sim, e a menina do lado disse "Ah... voce é irma dele? Daquele menino?" "Haha não, não sou. Sou eu mesmo", eu expliquei. Mais uma surpresa. Enfim, tudo de bom, unhas lindas exceto pela burrada que eu fiz com meu calçado.


 Sobre as roupa... cara, são todas bonitas, mas não combinam. A saia social, de cima, eu na verdade nem sei ainda se ficou bem em mim. A de baixo eu gostei com certeza. Mas a questão é: eu não sei se não sei escolher as roupas para usar junto ou se ainda não tenho peças suficientes para combinar direito. Nenhum dos dois conjuntos eu gostei muito. Eu tirei a foto só para mostrar as saias na verdade, e o salto sem a calça cobrindo.

Ah, e sobre a qualidade das fotos, desisto... enquanto eu não tiver um comodo decente com uma iluminação decente pra isso, vai ter que ser nesse estilo amadora/orkut mesmo. Melhor que nada.

Gente, palpitem, sério. Quero mil dicas nos comentários sobre ideias melhores de combinação pra essas peças... quero usar minhas saias.

Beijinhos,
MayB